Esses dois remédios muito conhecidos podem aumentar o risco de um infarto

Além disso, esses medicamentos também podem causar outros efeitos colaterais, como úlceras estomacais, sangramento gastrointestinal, insuficiência renal e hepática. Em pacientes com histórico de problemas cardiovasculares, como hipertensão arterial, doenças coronárias ou insuficiência cardíaca, o uso desses medicamentos pode ser especialmente perigoso.

Por isso, é importante que as pessoas tenham consciência dos riscos envolvidos na automedicação e sempre procurem orientação médica antes de tomar qualquer medicamento, mesmo aqueles que são vendidos sem prescrição. O médico poderá avaliar as condições de saúde do paciente e indicar o tratamento mais adequado, considerando os riscos e benefícios envolvidos.

Além disso, é importante seguir as recomendações de dosagem e duração do tratamento indicadas na bula do medicamento e nunca ultrapassar a dose recomendada ou prolongar o uso do medicamento sem orientação médica.

A conscientização dos riscos da automedicação deve ser um tema recorrente na sociedade, para que as pessoas entendam que, muitas vezes, o barato pode sair caro e que a saúde é um bem precioso que deve ser valorizado e cuidado com responsabilidade.